PERDÃO NA FAMÍLIA

Gênesis 45. 1 a 15:

45.1   Então, José, não podendo se conter diante de todos os que estavam com ele, bradou: Fazei sair a todos da minha presença! E ninguém ficou com ele, quando José se deu a conhecer a seus irmãos.

45.2   E levantou a voz em choro, de maneira que os egípcios o ouviam e também a casa de Faraó.

45.3   E disse a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque ficaram atemorizados perante ele.

45.4   Disse José a seus irmãos: Agora, chegai-vos a mim. E chegaram-se. Então, disse: Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito.

45.5   Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos irriteis contra vós mesmos por me haverdes vendido para aqui; porque, para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós.

45.6   Porque já houve dois anos de fome na terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem colheita.

45.7   Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra e para vos preservar a vida por um grande livramento.

45.8   Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus, que me pôs por pai de Faraó, e senhor de toda a sua casa, e como governador em toda a terra do Egito.

45.9   Apressai-vos, subi a meu pai e dizei-lhe: Assim manda dizer teu filho José: Deus me pôs por senhor em toda terra do Egito; desce a mim, não te demores.

45.10   Habitarás na terra de Gósen e estarás perto de mim, tu, teus filhos, os filhos de teus filhos, os teus rebanhos, o teu gado e tudo quanto tens.

45.11   Aí te sustentarei, porque ainda haverá cinco anos de fome; para que não te empobreças, tu e tua casa e tudo o que tens.

45.12   Eis que vedes por vós mesmos, e meu irmão Benjamim vê também, que sou eu mesmo quem vos fala.

45.13   Anunciai a meu pai toda a minha glória no Egito e tudo o que tendes visto; apressai-vos e fazei descer meu pai para aqui.

45.14   E, lançando-se ao pescoço de Benjamim, seu irmão, chorou; e, abraçado com ele, chorou também Benjamim.

45.15   José beijou a todos os seus irmãos e chorou sobre eles; depois, seus irmãos falaram com ele.

Deus criou a família; e a fez para que seja um refúgio de paz, alegria e equilíbrio em meio à angústia, desesperança e confusão da sociedade em que vivemos.

Entretanto, há várias ameaças que colocam em risco a harmonia familiar. É importante meditar no ensino bíblico a respeito do perdão na família; mais importante ainda é viver este ensino.

“Não se deixe vencer pelo mal, mas vença o mal com o bem!” (Romanos 12. 21).

O perdão é uma necessidade vital para o relacionamento familiar. Não é novidade para ninguém que toda família tem problemas.

Por mais graves que possam ser os erros que os membros da família possam cometer uns contra os outros, o perdão continua a ser uma necessidade.

Enquanto esta necessidade não for satisfeita, a situação dos envolvidos só piorará.

A passagem do tempo não é capaz de resolver muitos problemas que surgem entre parentes. Só o perdão é capaz de fazê-lo.

Pedir, dar e aceitar o perdão é uma necessidade vital para a saúde emocional, espiritual (e até física) de qualquer família.

Uma família só pode ser sustentada pela presença do amor. Aquele que ama procura fazer algo em favor de quem o ama.

Na história bíblica de José do Egito temos um grande exemplo. José revelou um amor autêntico aos seus familiares, concedeu o perdão, promovendo assim a união familiar, oferecendo recursos para a sobrevivência dos seus queridos.

Se não estamos vivendo bem em família precisamos analisar onde ficou o primeiro amor. Fazendo um resgate do amor será fácil perdoar.

No lar, todos precisam se sentir à vontade. Cada um deve ter espaço para compartilhar seus problemas, resolver as suas dúvidas, falar das suas necessidades, comemorar as suas vitórias.

É preciso aprender a respeitar as diferenças, evitando agressões verbais. Devemos aprender a ouvir.

Não podemos julgar antes de conhecermos qual foi o motivo de um ato que nos desagradou, ou de uma palavra que nos feriu.

Precisamos resgatar uma comunicação amorosa, uma palavra branda que desvia o furor.

Marcos 11. 24 a 26:

11.24   Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco.

11.25   E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas.

11.26   Mas, se não perdoardes, também vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas.

(Adaptado/Pão Diário)

IGREJA BATISTA INDEPENDENTE

Passo Fundo – RS

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s