O IRMÃO DO FILHO PRÓDIGO (Lucas 15.11-32)

INTRODUÇÃO: vemos nesta história o caminho errado que este jovem escolhe, e depois de pedir e receber parte da herança que lhe era por direito, sai a uma terra distante e dissipa todo o dinheiro em festas, bebedeiras, mulheres da vida, ficando na mais completa miséria, ao ponto de ter que trabalhar em um dos trabalhos mais humilhantes para um homem daquela época, cuidar dos porcos, pois os judeus consideravam os porcos imundos, e este jovem estava também passando fome, e no auge do desespero, quando ele se encontrou no “fundo do poço”, e estava com muita fome, e desejando comer a comida que ele dava aos porcos, então ele se lembrou do seu pai, da sua casa, do amor fraterno dos seus familiares, e voltou para casa. Agora:

Que lições podemos extrair desta parábola bíblica que Jesus ensinou?

1-FUNDO DO POÇO (depressão, angústia, desespero) Lucas 15.16 “Ali, desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam; mas ninguém lhe dava nada”. Quando nos afastamos do nosso Pai, da comunhão com Deus, da comunhão com o Espírito Santo, corremos o risco que este jovem sofreu, de irmos para o fundo do poço. Uma vida longe de Deus, longe do caminho eterno, é muito perigosa e desastrosa. Este jovem estava na casa do pai, desfrutando de uma comunhão muito próxima com seu pai, e por uma escolha egoísta, precipitada e imatura, saiu da casa do seu pai e foi viver no erro, no engano, na perdição, no pecado. Até que o dinheiro se foi, os amigos também, e ele se viu sozinho, sem nada, com um vazio muito grande em seu coração. Salmo 31.9 “Tem misericórdia de mim, ó SENHOR, porque estou angustiado. Consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu ventre”. Salmo 31.9 “Compadece-te de mim, SENHOR, porque me sinto atribulado; de tristeza os meus olhos se consomem, e a minha alma e o meu corpo”.

2-REVELAÇÃO (palavra Rhema) Lucas 15.17 “Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui morro de fome”. Enquanto estivermos vivos, há esperança, podemos mudar o rumo e o curso da nossa vida, podemos voltar atrás, lembrarmos aonde caímos, e concertar, voltar para Deus, se reconciliar com Deus. Este jovem viu uma luz no fim do túnel, e lembrou-se dos tempos de outrora, em que estava na casa do seu pai, cheio de cuidados e carinho. Ele foi humilde o suficiente para reconhecer o seu fracasso, e aceitou retomar a sua vida na casa do seu pai. Muitos se desviam do caminho do Senhor, por escolhas erradas, e perdem a comunhão com Deus, e um dia Deus toca seus corações, e eles se recordam do tempo em que iam na igreja, cultuavam a Deus, liam a Palavra do Senhor, a Bíblia Sagrada. Tanto o Logos como o Rhema são a palavra de Deus, mas o Logos é a palavra escrita na bíblia enquanto o Rhema é a palavra de Deus falada a nós de forma especifica. Enchamo-nos do Logos de Deus, tenhamos a nossa mente e o nosso coração impregnados com a bíblia, pois assim o Espírito Santo usará a letra da palavra (Logos) e a transformará em espírito, pois a palavra (Rhema) é espírito e vida. Mateus 4.4 “Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus”. (Rhema)

3-ASSUMIU O ERRO (reconhecer) Lucas 15.18 “Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti”. Lucas 15.19 “já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores”. Este jovem assumiu o erro, reconheceu que havia feito algo muito feio, grave, e precisava se retratar, voltar atrás, concertar. Muitos ao caírem no engano, no pecado, tem dificuldades de assumir, de se humilhar, e acabam endurecendo o coração, e não assumem seus erros. Um alcoólatra, por exemplo, enquanto ele não entender que ele é um doente, e que precisa de ajuda, enquanto ele não assumir que o que ele estava fazendo com a sua vida é errado, ele não conseguirá sair do vício.

4-TEVE ATITUDE (agir) Lucas 15.20 “E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou”. Muitas e muitas vezes somos confrontados para mudar alguma coisa em nossas vidas, deixar de cometer um pecado que já esta fazendo parte da nossa rotina durante a semana, e quando vamos na igreja no final de semana, Deus sempre nos confronta, mas não tomamos uma atitude séria de abandonar este pecado, este erro, este engano. Este jovem teve corajem, buscou corajem, e foi até seu pai, e para isto, teve que deixar a vergonha de lado, a sua reputação, o que o seu pai, seu irmão e até os empregados da fazenda do seu pai iriam pensar ou falar. Muitas vezes não assumimos os nossos erros e não tomamos uma atitude porque temos vergonha do que os outros vão falar de nós. Temos vergonha de aceitar pela fé um apelo na igreja, para uma mudança de vida, pois ficamos constrangidos em levantar as mãos ou ir na frente receber uma oração, pois achamos que os outros irão nos julgar ou pensar mal de nós.

5-O FILHO MAIS VELHO (perdoar) Lucas 15.28 “Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo”. O filho mais velho, que sempre trabalhou na fazenda do pai, de sol a sol, não concordou com a festa que o pai estava dando pela volta do seu irmão mais novo. Ele deixou que a inveja entrasse em seu coração. Esta indignação não procede, pois o amor cobre multidão de pecados, e precisamos aprender a perdoar, pois o perdão é o princípio básico da salvação do homem. Ele não perdoou o seu irmão, estava com raiva dele, por ele ter desperdiçado o dinheiro da família. Mateus 6.15 “Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas”.

6-VIVEMOS DO BÁSICO (tomar posse da benção) Lucas 15.31 “Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu”. Não nos apossamos das benções que Deus tem para nossas vidas, não usufruímos do melhor desta terra, não nos saciamos aos pés do Senhor Jesus, e quando alguém recebe algo de Deus, ficamos enciumados, com inveja, e criticamos, e não aceitamos, e ficamos deprimidos e desanimados. Mas devemos nos alegrar com as vitórias dos nossos irmãos, e nos apossarmos do melhor que Deus tem para as nossas vidas. O povo quando estava peregrinando no deserto, era alimentado por Deus pelo maná, e Deus tinha maná novo todos os dias para eles. Mas muitas vezes eles queriam guardar maná velho. Muitas vezes nos contentamos com a benção velha, e não buscamos mais de Deus para nossas vidas. Esaú se contentou com um cozinhado de lentilhas ao invés de desejar o direito de primogenitura. Não podemos nos contentar com o medíocre, com o “meia boca”.

CONCLUSÃO: o filho pródigo reconheceu seu erro, se humilhou e voltou atrás, para recuperar o que havia perdido. Já o irmão mais velho dele, não conseguiu perdoá-lo, enquanto o seu pai não só o perdoou, como fez uma festa por haver recuperado um filho que havia se perdido. Precisamos aprender que longe de Deus a vida não tem sentido, não serão as drogas, o álcool, o sexo ilícito e deliberado, as festas, as orgias, que irão nos trazer felicidade, pelo contrário, toda a vida desregrada e sem limites, nos leva ao fundo do poço, ao precipício, a depressão, a tristeza e infelicidade. No início até parece agradável, mas por fim acaba por nos trazer a ruína e a perdição. Mas devemos ser humildes, reconhecer nossos erros, nossos pecados, pedir perdão a Deus, e ter um coração disposto a perdoar, pois o irmão mais velho do filho pródigo não o perdoou.

Anúncios

4 comentários sobre “O IRMÃO DO FILHO PRÓDIGO (Lucas 15.11-32)

  1. Caro Diego,

    Tiramos da parábola de Lucas acima a seguinte reflexão:
    Somos todos iguais ao irmão que ficou.

  2. Sei que essa postagem já tem 3 anos, mas fiquei com vontade de comentar.
    A atitude do filho mais novo foi muito bonita em reconhecer o erro e tomar a atitude de ir até ao Pai.
    Bom, embora o Pai sinta saudades do filho, não vai até ele; não é Deus que tem de vir até nós, nós devemos ir até Deus, como diz em Malaquias 3:7. Mas embora o mais novo tenha sido honrado recebendo a melhor roupa, anel, sandalias e o novilho cevado, o privilegiado mesmo foi o mais velho. Vejam bem: Meu filho, tu sempre estás comigo; TUDO O QUE É MEU É TEU.
    Viram? Isso quer dizer que quem reconhece seus erros e volta para o Pai é honrado, recebe bençãos, mas quem nunca sai de perto do Pai não precisa nem pedir, pois tudo que é do Pai é dele também; o filho mais velho não percebia isso, assim como muito crentes por ai não percebe ficando com ciumes dos outros.
    Não vale a pena sair de perto do Pai, até porque podemos não conseguir voltar, e quem estar sempre com o Pai, Deus, é o mais privilegiado.
    EU QUERO SER O MAIS VELHO!

    1. Muito bom seu comentário Evelyn Silva!!!
      A Palavra se renova dia após dia, e o Espírito Santo fala ao nosso coração!!!
      Que Deus Pai continue te abençoando!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s