DERRUBANDO MURALHAS (Josué 5.13-15 / Josué 6.1-5)

INTRODUÇÃO: Josué e o povo atravessam o rio Jordão e chegam em frente ao muro de Jericó. A travessia por si só já foi algo tremendo, pois “porque há de acontecer que, assim que as plantas dos pés dos sacerdotes que levam a arca do SENHOR, o Senhor de toda a terra, pousem nas águas do Jordão, serão elas cortadas, a saber, as que vêm de cima, e se amontoarão”, conforme Josué 3.13, ou seja, foi mais um milagre e mais uma demonstração do poder de Deus, pois além de abrir o mar vermelho através de Moisés, agora através de Josué Deus abre as águas do rio Jordão, que estavam em época de cheias, onde as suas águas transbordavam pelas margens, pois eram muitas águas. Mas após este grande milagre, eles se deparam com as muralhas da cidade de Jericó. Eles rodeiam a cidade, marchando em volta dos seus muros, por 13 vezes, até as muralhas ruírem ao chão. Agora:

Que lições eu posso extrair desta história bíblica para a minha vida hoje?

1-DIFICULDADES Os muros ou muralhas da cidade de Jericó eram uma dificuldade para o povo, um empecilho para conseguirem chegar ao objetivo final. Temos limitações, dificuldades, problemas a serem solucionados, sempre teremos desafios a ser transpostos em nossas vidas, e sem dificuldades, problemas, tribulações, angústias, perseguições, a vida fica sem sentido. Precisamos da felicidade, da paz, da alegria, do regozijo, da glória, das bênçãos, mas tudo isso fica sem sentido, se não passarmos por provas e dificuldades, e vencermos elas. Salmo 107.6 “Então, na sua angústia, clamaram ao SENHOR, e ele os livrou das suas tribulações”. Eclesiastes 7.14 “No dia da prosperidade, goza do bem; mas, no dia da adversidade, considera em que Deus fez tanto este como aquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele”. Romanos 8.35 “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?”. 2 Coríntios 6.4 “Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmos como ministros de Deus: na muita paciência, nas aflições, nas privações, nas angústias”. Hebreus 12.7 “É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige?”. 2 Coríntios 12.10 “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte”.

2-ORAÇÃO Precisamos ter por hábito conversar com Deus, expor o que de mais íntimo se passa dentro do nosso coração, com muita sinceridade, sem máscaras, sem entrelinhas, sem falsidade, até porque Deus nos conhece melhor do que ninguém, e não tem porque omitirmos alguma coisa Dele. Josué tem um diálogo com o Príncipe do Exército do Senhor: Josué 5.13 “Estando Josué ao pé de Jericó, levantou os olhos e olhou; eis que se achava em pé diante dele um homem que trazia na mão uma espada nua; chegou-se Josué a ele e disse-lhe: És tu dos nossos ou dos nossos adversários”. Salmo 102.17 “atendeu à oração do desamparado e não lhe desdenhou as preces”. Provérbios 15.29 “O SENHOR está longe dos perversos, mas atende à oração dos justos”. Atos 6.4 “e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra”. Colossenses 4.2 “Perseverai na oração, vigiando com ações de graças”. 1 Timóteo 4.5 “porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificado”. Mateus 21.22 “tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis”. Romanos 12.12 “regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes”. Salmo 6.9 “o SENHOR ouviu a minha súplica; o SENHOR acolhe a minha oração”. Mateus 17.21 “Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum”. Filipenses 4.6 “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças”. Efésios 6.18 “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”. Tiago 5.16 “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo”.

3-HUMILDADE Josué se humilhou na presença de Deus, se prostrou perante Jesus, reconhecendo a sua total dependência Dele para conseguir ter êxito na empreitada de transpor as muralhas. Efésios 4.2 “com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor”. Atos 20.19 “servindo ao Senhor com toda a humildade, lágrimas e provações que, pelas ciladas dos judeus, me sobrevieram”. Colossenses 3.12 “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade”. Filipenses 2.3 “Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo”. 1 Pedro 5.5 “Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça”. 1 Pedro 3.8 “Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes”.

4-ADORAR Josué adorou ao Senhor, se prostrando diante Dele. A adoração é a atitude reportada a Deus, pois somente Ele é digno de ser adorado, exaltado, reverenciado. Quando nos mantemos fiéis à Sua palavra, aos seus princípios, aos seus ensinamentos, aos seus mandamentos, estamos adorando ao Senhor. Adorar a Deus vai além de cantar, vai além de louvar, vai além de dar toda honra e toda a glória a Deus. Adorar é um estilo de vida, uma consagração à Deus, de entrega e renúncia aos desejos pecaminósos da nossa carne. Mateus 4.9 “e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares”. João 4.23 “Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores”. 1 Coríntios 14.25 “tornam-se-lhe manifestos os segredos do coração, e, assim, prostrando-se com a face em terra, adorará a Deus, testemunhando que Deus está, de fato, no meio de vós”. Lucas 17.18 “Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro”.

5-SANTIDADE Josué 5.15 “Respondeu o príncipe do exército do SENHOR a Josué: Descalça as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é santo. E fez Josué assim”. Tirar as sandálias dos pés, hoje para nós representa viver longe do pecado, ou pelo menos se esforçar para ficar afastado de tudo o que possa desagradar a Deus. Adoração a Deus e santidade ao Senhor são palavras que se completam, e são sinônimos, e andam juntas. Devemos buscar santidade em nossas vidas, deixando a prática do pecado. Praticar o pecado diariamente, insistentemente, regularmente, é falta de santidade. Por exemplo, aquela pessoa que recebe uma revelação de Deus de que mentir é pecado e continua insistentemente mentindo, esta pecando, e portanto, há falta de santidade em sua vida. Ou aquela pessoa que sabe que não pode cobiçar a mulher do próximo, mas esta sempre desejando estar na cama com mulheres que não são sua, este esta com falta de santidade em sua vida. Ou aquele que sabe que a sensualidade, e a pornografia são pecados, e insiste em assistir a filmes eróticos ou ver imagens de mulheres nuas, esta pecando contra Deus. 1 Tessalonissenses 3.13 “a fim de que seja o vosso coração confirmado em santidade, isento de culpa, na presença de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos”. 1 Tessalonissenses 4.7 “porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação”. 2 Coríntios 7.1 “Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus”. 1 Tessalonissenses 4.7 “que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra”. Hebreus 12.14 “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Romanos 6.22 “Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna”.

CONCLUSÃO: Josué estava com uma dificuldade diante de si, e ao ter um encontro com Deus, se prostrou aos pés de Jesus se humilhando, em adoração, e se santificando diante do Rei dos reis, tirando as suas sandálias dos pés. Podemos fazer o mesmo em nossas vidas, enfrentando as dificuldades de cabeça erguida, buscando desenvolver um relacionamento intenso com Deus, nos humilhando diante Dele, o adorando intesamente, e buscando santidade, pureza em nossas vidas, e assim não haverá muralhas que nos impeçam de alcançarmos as vitórias que teremos que conquistar em nossa caminhada de fé.

Anúncios

6 comentários sobre “DERRUBANDO MURALHAS (Josué 5.13-15 / Josué 6.1-5)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s