Sejamos cautelosos

“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.” (Salmos 1: 1)

Vamos agora parar e analisar este verso. Existem nele 3 palavras chaves, que são, na ordem: anda, se detém e se assenta.

Geralmente, começamos a nos afastar do caminho do Senhor quando cedemos e abrimos uma brecha em nossas vidas, essas brechas não são rombos significativos, ao contrário, são pequenas fissuras que aos poucos, vão se tornando grandes rachaduras, até que se tornam buracos.

Sempre que nos permitimos fazer algo que, sabemos, não agrada a Deus, estamos abrindo uma brecha e, quando fizemos isso, começamos a andar por um caminho que nos afasta de Deus. Mas, como eu já disse, as brechas começam como pequenas fissuras, quase imperceptíveis.

O problema é que com o tempo deixamos de acreditar que o que estamos fazendo está completamente errado, passamos a crer que não é nada grave, que não terá grandes consequências, e é neste momento que nos detemos pelo caminho que nos afasta de Deus. Ainda assim, quem se detém, se detém por apenas determinado tempo, e não tem a intenção de permanecer onde está.

O tempo passa e, por influência do que nos cerca, aquele sentimento de que não estamos corretos no que estamos fazendo desaparece. O pior que pode nos acontecer neste caminho é quando perdemos o medo, neste caso, o temor a Deus, pois, deixando de acreditar que estamos fazendo algo errado, desejamos permanecer onde estamos, e, quem deseja permanecer onde está, ali se assenta, pois, ficar em pé cansa muito rapidamente.

Tudo aquilo que nos rodeia também nos influencia, coisas boas ou ruins, o meio em que convivemos nos transforma de alguma maneira. Essa transformação se dá por meio de um processo gradual, lento, quase imperceptível.

Quantas vezes paramos e pensamos: “como eu sou diferente hoje do que eu era no passado!” Não estou afirmando aqui que estas transformações são ruins; muitas transformações nos trazem benefício, nos tornam pessoas melhores; mas há sim, transformações que nos prejudicam, transformações que nos afastam de Deus. E sempre, em qualquer caso, o que nos transforma são as coisas das quais nos cercamos.

Então, vamos tomar cuidado com aquilo que temos permitido que nos cerquem. Precisamos filtrar o que estamos assistindo, ouvindo, lendo, precisamos refletir a respeito das pessoas nas quais estamos procurando aconselhamento, pois, como está escrito no Salmo 1: 1, o processo gradual que nos afasta de Deus começa quando passamos a andar segundo o conselho dos ímpios.

Vamos procurar nos cercar de tudo aquilo que pode nos aproximar de Deus. Procurar ler mais a sua Palavra, a Bíblia, pois, como está escrito no verso seguinte:

“Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Salmos 1: 2)

Então, é bem-aventurado, ou seja, mais do que feliz, todo aquele que tem prazer em agradar a Deus e permanece no centro da Sua vontade, se afastando de tudo aquilo que pode lhe tirar do caminho que leva à Salvação.

Deus abençoe muito a todos.

(Baseado na explicação de Mark Hall – líder do Casting Crowns – a respeito do hino “Slow Fade”)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s