Propósitos III

“Sem um propósito, a vida é um movimento sem sentido, uma atividade sem direção e acontecimentos sem motivo. Sem um propósito, a vida é trivial, mesquinha e inútil.” (Warren, Rick. Uma vida com propósitos. Pg. 28)

Nossa vida é sempre dirigida por algo, mas o que está dirigindo nossa vida neste momento? Há muitas circunstâncias que podem dirigir nossa vida, mas há cinco mais comuns: culpa, rancor e raiva, medo, materialismo e necessidade de aprovação.

Todos temos um passado; porém, há algumas pessoas que podem se orgulhar dele, enquanto há pessoas que sentem vergonha e/ou remorso do que fizeram em sua vida. Nós não podemos modificar o nosso passado, mas podemos evitar que ele dirija o nosso presente e o nosso futuro. O propósito de Deus não é restringido pelo seu passado. Quer exemplos disso? Moisés: um assassino que Deus transformou em um grande líder! Gideão: um covarde transformado em um corajoso herói. Enfim, Deus não se importa com o que você já fez, Ele se importa com o que você quer fazer daqui para frente! Ele é especialista em dar às pessoas um novo começo.

Fora da Bíblia, em minha opinião, não existe frase que exemplifique melhor o erro que é ter a vida direcionada pelo rancor e pela raiva do que a de William Shakespeare: “Guardar rancor é tomar veneno e querer que a outra pessoa morra.” Guardando rancor, você apenas machuca a si mesmo, amargurando-se. A Bíblia diz: “Ficar desgostoso e amargurado é loucura, é falta de juízo, que leva à morte.” (Jó 5: 2).

Outra coisa que não devemos permitir é que nossa vida seja dirigida pelo medo. Isso normalmente é resultado de uma situação traumática ou até mesmo de predisposição genética, mas não devemos ter medo de correr riscos, pois, podemos perder grandes oportunidades. Ter a vida dirigida pelo medo é se auto-impor um cárcere, o que impede que alcancemos tudo aquilo que Deus pretende que sejamos.

A busca pelo dinheiro, pelo poder e pelas posses é provavelmente o que mais dirige a vida das pessoas. O problema é que isso, quando alcançado, traz uma felicidade temporária, que, uma vez que não se modificam, nos entediam e passamos a desejar coisas ainda maiores, melhores e mais novas. “O seu valor não é determinado pelas suas posses, e Deus deixa claro que as coisas mais valiosas da vida não são os bens” (Warren, Rick. Uma vida com propósitos. Pg. 27)

Há pessoas que têm sua vida dirigida pela necessidade de aprovação das pessoas à sua volta. A chave para o fracasso provavelmente é esta, pois, não podemos agradar a todos. Nem mesmo Jesus conseguiu isso, quanto mais nós. Tentar agradar a todos nos afasta do propósito que Deus tem para nossa vida, afinal, não se pode servir a dois senhores.

Conhecer os propósitos de Deus para a nossa vida faz com que ela tenha um sentido. Se nossa vida fizer sentido seremos capazes de suportar quase tudo, do contrário, tudo será insuportável. “Sem Deus a vida não tem nenhum propósito, e sem propósito a vida não tem significado. Sem um significado a vida não tem relevância ou esperança.” (Warren, Rick. Uma vida com propósitos. Pg. 29)

A vida torna-se mais simples quando conhecemos os objetivos de Deus para ela, pois, isso irá definir o que faremos ou não, passamos a analisar as ações considerando o propósito, o que nos leva a dedicar nossa energia às coisas que realmente importam.

Conhecendo os nossos propósitos somos estimulados a viver, e não a apenas sobreviver. Também não devemos viver apenas para sermos lembrados futuramente, essa maneira de viver nos afasta de Deus, pois, tendemos a nos preocupar de mais com essa vida terrena passageira, quando o que mais importa é a eternidade. Não importa o que alcançarmos, um dia será esquecido; assim como os recordes, tão importantes quando alcançados, são quebrados e tornam-se irrelevantes. No final das contas, o que importa não é o que os outros dizem sobre você, mas o que Deus diz.

“A maior de todas as desgraças não é a morte, mas uma vida sem propósitos.” (Warren, Rick. Uma vida com propósitos. Pg. 29)

Quando estivermos perante Deus, no dia do juízo, teremos que responder a respeito do que fizemos em relação a Jesus Cristo e o seu sacrifício e também a respeito do que fizemos com o que Deus nos deu, assim como a parábola dos talentos, e, para aproveitarmos bem o que Deus nos deu precisamos ser dirigidos pelos propósitos dEle.

Deus vos abençoe.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s